1º de Novembro: Dia Mundial do Veganismo

capa-blog

O termo vegan foi criado em 1944 pelo britânico Donald Watson e, desde então, transformou-se em um movimento político, ético e de estilo de vida, ganhando muitos adeptos no calor das revoluções contraculturais da década de 1960. O veganismo procura excluir todas as formas de exploração animal; na alimentação, no vestuário ou em qualquer outra finalidade.

No vegetarianismo, a pessoa não come nenhum tipo de carne animal, podendo restringir também ovos, leites e derivados.

Sendo dividido em:

  • Ovolactovegetarianismo: no qual se consome ovo, leite e laticínios;
  • Lactovegetarianismo: quando se usa leite e laticínios, mas não ovos;
  • Ovovegetarianismo: que inclui ovo, mas não leite e laticínios;
  • Vegetarianismo estrito: que exclui todo produto de origem animal, até mel.

Já no veganismo, ou vegetarianismo estrito, a prática é não consumir nenhum produto de origem animal e ir além da mudança na alimentação. Segundo a sociedade vegana Vegan Society, “O veganismo é um estilo de vida que busca excluir, na medida do possível e do praticável, todas as formas de exploração e crueldade de animais, seja na alimentação, no vestuário ou em qualquer outra finalidade”.

Curiosidades: Segunda sem Carne

A segunda-feira sem carne é uma iniciativa que surgiu nos Estados Unidos em 2003 e hoje está presente pelo mundo todo, sendo o Brasil o país que mais vem gerando impacto nos últimos anos.

Aqui a campanha foi lançada em 2009, na cidade de São Paulo, em parceria com a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) e com a Secretaria do Verde e Meio Ambiente (SVMA).

O movimento busca informar e conscientizar a população sobre os impactos do uso de produtos de origem animal na sociedade, na nossa saúde, nos animais e no planeta. Mostrando assim, que a Segunda Sem Carne, é uma ótima atitude sustentável.

A escolha da segunda-feira se dá ao fato de ser o dia famoso por começos, promessas e atitudes, nesse sentido, o convite para fazer uma pausa no consumo de carne na segunda-feira é uma maneira de iniciar um movimento saudável, nos permitindo a troca de fontes alimentares, estimulando o aumento do consumo de legumes, frutas e verduras. Não apenas pelo bem-estar animal e pelo clima, mas também por nossa própria saúde.

Mesmo sendo um exercício de um dia na semana para aqueles que consomem alimentos de origem animal regularmente, o impacto a nível mundial desse movimento é gigante. A nossa alimentação impacta muito o nosso ambiente e para você, simpatizante da causa ambiental, já é um grande passo ficar um dia sem carne.

  • Pra quem deseja virar vegetariano ou vegano deve começar a excluir os produtos de origem animal, e incluir alimentos diversificados, como verduras, frutas, cereais, oleaginosas e legumes, para que não haja nenhuma deficiência de proteína, vitaminas e minerais. A dieta não é restritiva, ao contrário, as possibilidades culinárias aumentam.
  • Também é importante que haja planejamento das refeições, para vegetarianos e veganos em transição é importante que cozinhem a própria comida, para ter uma alimentação saudável e sem nenhuma deficiência de nutrientes. Levar marmitas e lanchinhos consigo, acaba sendo uma ótima opção, já que em alguns lugares as opções vegetarianas e veganas deixam um pouco a desejar.
  • É sempre indicado procurar um acompanhamento nutricional para realmente ter uma dieta saudável e planejada especificamente para você.

Manter uma alimentação vegana também traz benefícios à saúde. Trata-se de uma alimentação pobre em gordura e rica em vitaminas, fibras e minerais. Pesquisas mostram que a alimentação sem produtos de origem animal auxilia no tratamento e prevenção de várias doenças graves, como obesidade, hipertensão, câncer e doenças cardiovasculares.

Quem trouxe essas informações pra gente foi a Flávia Parolin, nutricionista da rede!

Veganismo: uma prática diária de escolhas conscientes

A Larissa Franciscato já trouxe pra gente alguns textos sobre empreendedorismo e marketing, mas hoje ela traz um relato muito especial sobre veganismo, já que ela e seu marido Bruno são veganos!

Estamos comemorando o dia mundial do veganismo, e o que isso representa?

Muito além da dieta que exclui o consumo de qualquer tipo de carne (seja ela branca ou vermelha) e derivados como leite, mel e ovos, o veganismo é uma busca sincera por hábitos de consumo que respeita os animais como seres sencientes, ou seja, seres que apresentam algum sentimento de “eu existo” e que portanto experienciam dor e prazer. Desta forma, também faz parte dos hábitos veganos não consumir produtos cuja produção utiliza partes de animais em sua composição ou que tenham utilizado exploração animal em seu desenvolvimento.

Escolhas e impactos

Na natureza a qual pertencemos, para toda ação haverá uma reação. Na maior parte do tempo nós consumimos de forma automática, sem mensurar o impacto das consequências que as nossas pequenas escolhas produzem nos sistemas financeiro, social e ambiental. A busca por uma vida vegana, para nós, não está acima, nem à frente de outras escolhas. Escolhemos essa prática diária pela busca do equilíbrio dos impactos da nossa existência em um mundo em que a exploração e o especismo chegou em um nível que está prejudicando todos nós, habitantes desse planeta e não apenas os animais explorados. Já faz aproximadamente 15 anos que paramos de nos alimentar de proteína animal e continuamos diariamente pela busca de mais clareza, consciência e responsabilidade sobre os nossos atos, nosso consumo e escolhas. Não consumir proteína animal para nossa família, representa isso, tomar para si a responsabilidade. O que eu posso fazer hoje, aqui e agora para minimizar os impactos devastadores que o mundo está sofrendo? Percebemos que não consumir carne e proteína animal pode ajudar significativamente nesse aspecto.

Hoje, não celebramos apenas o veganismo e a quem optou por essa prática. Celebramos a liberdade e as muitas opções de consumo consciente que temos hoje. Convidamos a todos para uma breve reflexão sobre suas escolhas diárias. Que uma possível mudança nos hábitos possa ser feita, sem radicalismo e de forma saudável.

Larissa Franciscato e Bruno Franciscato

Casal Vegano, Mãe e Pai, no processo e na busca do consumo sustentável e consciente há mais de 10 anos.

@larissa.franciscato 

 

3 Eu gostei
0 Eu não gostei

Deixei um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *